segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

sou dessas pessoas que vivem cansadas. dessas pessoas com olheiras. faço mil coisas ao mesmo tempo e não me orgulho disso. vivo entre o sonho e o real e muitas vezes prefiro sonhar a viver. sou viciada em café e gasto meu pouco dinheiro com três coisas: livros, viagens e cerveja. muitas vezes sou desmedida. sei que deveria ser mais apolínea, e até sou. mas sempre transbordo pelas beiradas do meu corpo: poros, cabelos, lágrimas e sorrisos. desejar mudar em 2016 é como aquela piada que não se entende e ri. então eu rio. rio de mim mesma, sempre. rio sozinha ou acompanhada. enquanto os outros, bem.. continuam perguntando o sentido da piada.





quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

o que é o envelhecer senão o reconhecimento
do mundo?
de minha pele tatuada
pelos afetos
das palavras soltas
como os cabelos
teimosa, escrevo
para lembrar de quem sou
se minha face já muda
tanto
ao espelho
e se tudo passa
eu envelheço
nova
relembro
algo que continua vivo
imperecível ao tempo
das raízes às pedras
de minha cidade velha
e pelas paisagens que carrego
ou outras que espero
busco, hesito
mas não temo,
sou errante
em delírio
sou,
poeta.
  




terça-feira, 22 de dezembro de 2015

a todos os caminhos que se abrem
e aos outros
que insistentemente rasgo
com os dentes
abrindo as estradas para meu corpo
dançar
atravesso as passagens
com os olhos fechados
sem medo do desconhecido
lanço-me
aos abismos de mim mesma
para voar
em minhas profundezas
de quedas
sem voltas.

domingo, 13 de dezembro de 2015

numa onda
em um outro ano
que nasce de Oxalá
nas ondas de Iemanjá
nas suas mais claras conchas
Janaína, escuto sua música
embalando-me
para um novo ano
numa outra
onda.




sábado, 5 de dezembro de 2015

Há pouco


quando me encontrei
estava ainda com os cabelos vermelhos
e pude me abraçar
demoradamente
sentindo tudo o que eu iria passar
como só eu,
íntima e compreensiva
mais velha e serena
pousasse as mãos em minha própria fronte
para acalentar os sonhos
medos
tão vivos
num corpo franzino de menina
querendo escapar todos
para fora
eu não te culpo mais





(...)
suas escolhas foram feitas por você
para você
e só.



https://www.youtube.com/watch?v=DLGAIDBS6Eg